AREM - Camaragibe - Pernambuco

"Tenho para mim que a arte que produzo além de ser bastante positiva quebrando o cinza da cidade, fortalece uma das origens do graffiti que são as letras. Como também pode mostrar às pessoas que simples letras podem se tornar algo fora do comum, ganhar proporções, formas e um interessante colorido. Que dependendo do ponto de vista, isso significa muito, mostrando que podemos transformar tudo que está ao nosso alcance."
...
Nascido em Recife em 1991 e residente do bairro Timbi em Camaragibe, região metropolitana da capital pernambucana, Arem que também atua como animador cultural e oficineiro, escolheu este nome para assinar seus trabalhos a partir da sugestão de seu amigo Arkivo, residente na mesma cidade e também produtor de graffiti. Segundo ele, embora a palavra remeta a harém, não há nenhuma relação com os aposentos de um sultão muçulmano e suas habitantes, nem há outro significado a não ser a assinatura do autor.
As grandes áreas verdes existentes na região, que amenizam o efeito da poluição do ar, e o descaso do governo local em relação a aspectos sociais, são os principais pontos, positivo e negativo, da cidade citados por Arem cuja relação com a região vem de gerações passadas. Seus parentes, trabalhadores do campo, migraram das cidades de Carpina e Orobó no interior pernambucano para Camaragibe quando esta ainda era um bairro do município de São Lourenço da Mata. Ali, seus avós maternos montaram uma pequena fábrica de sorvetes, negócio que se mantém ativo até os dias de hoje.
Por curiosidade sobre como fazer aquilo que ele tanto via nas ruas, resolveu participar de uma “intera” com dois amigos para comprar tinta e realizar seu primeiro graffiti. A partir disto iniciou seus estudos de letras e o desenvolvimento de sua pintura foi determinado pela improvisação com a pouca tinta e cores que tinha em mãos. Foi através de revistas do gênero que conheceu parte do graffiti chileno, do qual cita Abse como grande inspiração.
Arem faz parte da 33 Crew, grupo com forte influência cristã que traz no nome a idade que Jesus tinha quando morreu. Outros 11 integrantes fazem parte desta crew que, inclusive, organiza o Recifusion Art; Leo Gospel, Johny C, Nika, Dark, Juber, Pedro, Mich, Marcela, Bira, Asak e Nomes.


Mais Sobre:


Confira também o vídeo que mostra um mural realizado por Arem e Johny C



AREM
Recomenda

Documentário
O Rap do Pequeno Príncipe Contra as Almas Sebosas
de Marcelo Luna e Paulo Caldas
(este filme pode ser assitido na íntegra pelo YouTube e segue abaixo a parte 1 do mesmo)

Músicas
Bossa Nostra de Nação Zumbi

Siba e a Fuloresta

Os Cachorros de Olinda



* Fotos e links enviados por Arem e texto por Emol a partir de entrevista realizada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário