Aos 42 do segundo!!!


O tempo pára
Se faz refém
Drama
Sofrer que encanta
Vicia

A vida espera
Passageiro esquecimento
Na primazia de dois tempos
Que passam
Agonizam
Até o tiro indolente
Que viaja como pensamento
Escrevendo poesia no ar

Não mata
Finda como borboleta
Que sacode o universo
É verso, é prosa
A magia mais garbosa
Que fortalece o enleio
Anseio, verde símbolo
Centelha que semeia paixão

Nenhum comentário:

Postar um comentário