Povo Xukuru do Ororubá - Pernambuco

No último mês de maio estive na aldeia Cimbres do Povo Xukuru do Ororubá, próximo ao município de Pesqueira no estado pernambucano, em sua 12ª Assembléia. Mais do que tentar dizer com minhas palavras, creio que tanto a carta, como os vídeos que seguem abaixo fazem entender um pouco desta luta que é Xucuru, é indígena, é nossa, como todos aqueles que se importam com a causa e têm a consciência da necessidade de "restabelecer os princípios geradores da vida em plenitude, tais como o respeito ao ser humano e à natureza e o elo indissociável entre os seres humanos e a terra, tal como nos ensinam os povos indígenas."



Carta da XII Assembléia do Povo Xukuru

“As águas são o sangue da terra,
as matas são os cabelos da terra;
as pedras são os ossos da terra”
Xicão Xukuru

Nós, povo Xukuru do Ororubá, protegidos pelas forças dos Encantos de Luz e pelo manto da Natureza Sagrada, estivemos reunidos na nossa XII Assembléia que teve como tema “Cultivando os princípios do Bem Viver para garantir o envolvimento no projeto de futuro Xukuru”. Esta foi realizada na aldeia Vila Cimbres, entre os dias 17 a 20 de maio de 2011, com a participação de representantes de todas as aldeias, o povo Potiguara e vários aliados do nosso povo.
Nosso objetivo foi disseminar o entendimento do ‘Bem Viver’ entre nosso povo. Nosso maior desejo hoje é ter um território produtivo, livre das amarras da fazenda e do latifúndio, onde as pessoas possam viver usufruindo do que a terra nos dá, cuidando da terra, da natureza e de todos seus filhos.
Reafirmamos que a Natureza é sagrada e que a Terra é a nossa mãe de onde tiramos nossos alimentos. Ela também é morada de nossos Encantos de Luz, por isso, cuidar dela é condição essencial para nosso Bem Viver.
Durante a assembléia analisamos como as políticas e as grandes obras que vêm sendo desenvolvidas pelo Governo Federal invadem os territórios indígenas, destroem a Natureza Sagrada e a Mãe Terra, atrapalhando e dificultando a vivência do Bem Viver.
Lamentavelmente algumas forças do mal continuam nos atrapalhando. A criminalização continua, nossos companheiros Rinaldo e Edmilson continuam presos. Nosso cacique continua ameaçado de ser preso, assim como outras lideranças e pessoas de nosso povo. O assassinato do nosso líder Chico Quelé continua impune.
Repudiamos as construções de hidrelétricas, a Transposição do Rio São Francisco, a construção de Usinas Nucleares e outros empreendimentos que impactam as terras tradicionais dos povos indígenas do Brasil.
Sabemos que o Bem Viver exige que mudemos nossa mentalidade. Precisamos abandonar as práticas e os valores daqueles que ainda vivem de acordo com os valores que nos foram impostos pelos colonizadores.
Estamos construindo o nosso projeto de futuro baseado nos valores e princípios do bem viver. Vamos fazer a “PACHACUTI”, como dizem os nossos parentes do Equador e da Bolívia, ou seja, a Reviravolta, a mudança radical de nosso modo de vida, quando a Roda Grande passa pela roda pequena”. 
Queremos viver sob os princípios do respeito à Natureza, às águas, às matas, às pedras e os animais.
Queremos valorizar os outros, as mulheres, os jovens e as crianças.
As pessoas mais velhas são exemplos para nossas vidas.
A solidariedade, a união, a partilha, a comunhão, a religião, o pisado do toré, o chiado da maraca, a harmonia, a liberdade, a imparcialidade, o mandar obedecendo, são valores que queremos vivenciar.
Queremos convidar as pessoas de Pesqueira e todos aqueles que quiserem se juntar ao nosso povo para construirmos juntos a sociedade do BEM VIVER.     

Aldeia Vila de Cimbres, Território Sagrado do Rei do Ororubá
20 de maio de 2011, décimo terceiro ano do assassinato do cacique Xicão e
Décimo ano da homologação do território Xukuru





Teaser do documentário Xukuru Ororubá
Sinopse: A força politica do povo Xukuru se sustenta na força dos encantados que habitam a serra sagrada do Ororubá. Imersos no mundo moderno onde impera a politica de exclusão, os Xukuru afirmam sua identidade reelaborado sua crenças e criando formam alternativas de organização social, mantendo vivo o sonho do cacique Xikão Xukuru. (15 min / P&B / 24 fps / Super 8mm)



Documentário Xicão Xucuru:
Sinopse: Produzido pela TV Viva, o documentário conta a história da luta pela terra e do assassinato brutal do líder do povo Xukuru do Ororubá, o cacique Francisco Assis Araújo, mais conhecido como Xicão.O território Xukuru é localizado no interior do estado de Pernambuco, nordeste do Brasil.


Documentário Xicão Xukuru:

Sinopse: O vídeo Xicão Xukuru é produto da Oficina de Audiovisual para a Nação Xukuru-Ororubá, realizada no primeiro semestre desse ano de 2008 pela Cabra Quente Filmes Ltda em parceria com a Funarte, o Ministério da Cultura, Petrobras e a ACF, para 30 jovens indígenas Xukurus e agentes do ponto de cultura de Arcoverde. O objetivo da oficina era ensinar aos jovens uma forma de resgatar e preservar a sua cultura por meio do audiovisual. O documentário conta a história de vida, lutas e morte do Cacique Xicão, líder da nação Xukuru, assassinado num conflito com fazendeiros.


História e entrevistas sobre assassinatos de lideranças do povo Xukuru:



Protesto contra a criminalização das lideranças Xucuru:



Vídeo Clipe e letra da música  O Outro Mundo de Xicão Xucuru da banda Mundo Livre S/A:



O Outro Mundo de Xicão Xucuru
Numa faixa de terra
de 28 mil hectares,
localizada no agreste pernambucano,
habitam cerca de 8 mil seres da espécie humana

Eles não querem vingança
eles só querem justiça
querem punição para os covardes
assassinos de seu bravo Cacique Xicão
distribuídos por 23 aldeias,
permanecem resistindo
após quase 500 anos
de massacres e perseguições
reivindicando nada menos
que o reconhecimento e a demarcação
da terra sagrada que herdaram
de seus ancestrais

"Ele não vai ser enterrado,
ele não vai ser sepultado
Ele vai ser plantado,
para que dele nasçam novos guerreiros"

As autoridades policiais tinham pleno conhecimento
dos atentados e das ameaças
Ainda assim nada fizeram para evitar
mais este crime,
muito conveniente
para os latifundiários da região.

Comenta-se que alguns deles
têm parentesco com certos figurões
da república branca
Entre eles um apelidado pelos federais
de "Cacique Marcão"

"Ele não vai ser enterrado,
ele não vai ser sepultado
Ele vai ser plantado,
para que dele nasçam novos guerreiros,
minha mãe natureza.
Ele vai ser plantado assim como vivia,
debaixo das vossas sombras,
para que de vós nasçam novos guerreiros,
minha mãe natureza, que a nossa luta não pára".

Nenhum comentário:

Postar um comentário