Entrevista para blog Citizens of Culture

Recentemente foi publicada uma entrevista comigo no site estadounidense Citizens of Cultura. A mesma pode ser conferida em inglês no link EMOL: THE STREETS OF BRAZIL ou no original em português a seguir:

Você teve algum treinamento formal ou foi autodidata? Como isso influenciou o seu estilo e técnica?
Trabalhar em escolas de samba, pintar bandeiras para a torcida organizada de futebol e minha aproximação com o Hip Hop é o que cito como minhas escolas iniciais de arte. Isto e minha auto crítica me levaram ao estilo e técnica que tenho hoje.
Eu não frequentei universidade, mas estou sempre atento a oficinas que me interessam.
Hoje, o projeto Rolê Brasil também tem sido uma escola para mim, pois estou conhecendo muitos artistas e manifestações culturais regionais que afetam diretamente meu pensar e fazer arte.

Antes de iniciar um novo mural, você tem algum ritual que você faz antes de se preparar?
Cada mural e intervenção é uma história diferente. Em alguns eu gosto de visitar o local antes de pintar e pensar algo que tenha a ver com a comunidade. Em outros eu já tenho uma ideia e busco um local bom para ela. E em outros eu pinto com ideias que surgem espontâneas no momento.

O seu trabalho é visto em vários tamanhos. Quando você está escolhendo um local, você busca com uma imagem já em mente ou você deixa a parede orientá-lo sobre o que pintar?
Quase sempre a parede guia o que eu devo pintar, mas isso é conectado com desenhos que tenho na minha mente. Eu desenho muito em papel e isto ajuda a ter novas ideias quando vejo alguma parede que me atrai.

Muitas vezes você tem que usar escadas e andaimes altos, você tem medo de altura? Como você lida com isso?Existem diferentes reações para o medo. Em alguns casos ele é atrativo. Em outros casos o medo só aparece depois que a ação já foi realizado.
Eu tenho muito medo de altura, mas estas pinturas são uma missão. Com ou sem altura eu determino que farei e faço.

Com este mural mais recente, como você chegou a pintá-lo com Cena7 e Melim. O que colocou os três de você juntos neste espaço?
Somos velhos amigos e o compromisso com a arte que produzimos também contribui para nos aproximar. Este recente mural foi um projeto do Cena7 e Melim, eu fui convidado por eles.

Você prefere ter seu trabalho ao lado de outros?
Cada trabalho é uma história diferente.

Eu amo como a fonte foi considerada em seu projeto, dá-lhe uma sensação 3D. Será que o pássaro tem qualquer significado com a área?
Este mural foi feito no jardim de esculturas da Pinacoteca e aquilo é uma escultura de outro artista.
Eu tinha apenas 4 dias para pensar e pintar o mural. Então não tive tempo de pensar uma relação poética com a obra dele, mas todo o layout da minha pintura foi pensado a partir do local onde esta escultura estava e como ela se relacionaria visualmente com a obra.

Muitas vezes você faz imagens de animais, você imagina seus próprios animais ou usa animais naturais como referência?
Quase sempre são criaturas que vou tirando da imaginação. Principalmente criaturas que vão surgindo espontâneas nos desenhos livres que faço. São raras as vezes que uso animais naturais como referencias.

Você sabe que os Jogos Olímpicos vão ser no Rio, em 2016. Você tem alguma ideia para criar algum trabalho para a cidade em relação a eles serem a sede. É algo que você estaria interessado?
Eu gosto de trabalhar. Eu rotineiramente produzo e estudo o que eu faço. Então, eu estou sempre disposto a criar obras se houver uma boa proposta e não for contrário a alguns ideais meus.

Você foi recentemente apresentado na Galeria Carmicheal em Culver City, você tem planos de fazer um mural em Los Angeles?
Eu quero fazer um mural em Los Angeles. Procuro uma parceria para isso. 





Nenhum comentário:

Postar um comentário