Bio

Emol atua como artista e educador.

De 2009 a 2017 viveu de forma nômade pelo país, entre deslocamentos e residências ocasionais, vivenciando culturas locais e realizando experiências artísticas.

Artista multimídia inicia sua trajetória sob influência do universo do graffiti, a partir de pinturas murais desde o ano 2000. Expondo ou participando de projetos e eventos artísticos, tem trabalhos realizados em diversas cidades brasileiras e exteriores como Miami, Los Angeles, Melbourne, Santiago do Chile e Buenos Aires.

Como educador desde 2001 realiza oficinas, palestras e experiências poéticas. Atualmente integra a equipe de ação e pesquisa educativa do Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, onde investiga a errância urbana e vida nômade como práticas artísticas e pedagógicas.












.