Bio

Emol
Artista, educador e pesquisador em arte urbana.

Artista multimídia inicia sua trajetória sob influência do universo do graffiti, a partir de pinturas murais desde o ano 2000. Expondo ou participando de projetos e eventos artísticos, tem trabalhos realizados em diversas cidades brasileiras e exteriores como Miami, Los Angeles, Melbourne, Santiago do Chile e Buenos Aires. Atualmente, produz intervenções urbanas, pinturas murais em diversas escalas e trabalhos em ateliê para exposições. Pensar o chão que pisa e olhar para traz são metáforas das quais se utiliza em sua poética, trazendo assim para seu trabalho a intenção de uma produção decolonial e valorização da ancestralidade.

Como educador desde 2001 atuou e atua em diferentes frentes. Como educador sociocultural trabalhou nas ruas, em instituições de internação e ONGs, junto a crianças e adolescentes em situação de rua e cumprindo medidas socioeducativas. Em parceria com diferentes instituições realiza oficinas, palestras e experiências poético-educativas ligadas ao contexto da arte urbana e seus desdobramentos, que resultam também em oficinas de desenho, pintura em diferentes suportes, cadernos artesanais, publicações independentes e experiências com errância urbana. Atualmente integra a equipe de ação e pesquisa educativa do Instituto Tomie Ohtake em São Paulo.

De 2000 a 2009 integrou coletivos artivistas de Hip Hop que atuavam com difusão artística e formação sociocultural, realizando ações educativas e produzindo apresentações artísticas e oficinas que utilizavam as linguagens do Hip Hop (música, dança e artes visuais) como disparadores para debater questões socioculturais junto a jovens em diferentes situações sociais.


De 2009 a 2017 viveu de forma nômade pelo país, com poucos recursos financeiros e levando bens materiais básicos dentro de uma mochila, entre deslocamentos e residências ocasionais, vivenciando culturas locais e realizando experiências artísticas e educativas a partir de seu cotidiano.